Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Artigos

Como realizar audiências melhores com 5 dicas de oratória

9 min de leitura
Junte-se a mais de 100.000 advogados e peritos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Microphone over the abstract blurred photo of conference hall or seminar room Premium Photo

Audiências fazem parte da rotina de muitos advogados. E existem vários fatores que auxiliam na realização de uma boa audiência, como saber falar bem e com eloquência. É verdade que muitos nascem com facilidade para se comunicar em público, mas é possível aprender e desenvolver essa habilidade com boas dicas de oratória.

Pensando nisso, elaboramos o presente artigo com 5 dicas de oratória para ajudar a realizar audiências melhores. Confira!

1. Aprimore a dicção

A enunciação e correta dicção das palavras é imprescindível para a boa oratória. E a prática é essencial para adquirir essas habilidades.

Demóstenes, um dos mais famosos oradores gregos, sofria de gagueira quando jovem. Para se tornar um grande orador, treinava com seixos na boca e falava contra o barulho do mar.

Da mesma forma, ao se fazer compreender claramente, o advogado chama a atenção e atende melhor aos interesses de seu cliente.

2. Domine o conteúdo

Para defender seu posicionamento, o advogado precisa dominar plenamente o conteúdo do que é debatido para não ser pego de surpresa por argumentos contrários e também para manejar a discussão com competência e segurança.

Dominar o conteúdo inclui não apenas os fatos do processo em curso, mas também a legislação, jurisprudência e a doutrina pertinente. Quanto maior for o domínio do advogado, melhor será sua capacidade de se expressar e de convencer o julgador.

3. Estabeleça uma estratégia

Ao se preparar para uma audiência, o advogado deve traçar uma estratégia para defender o cliente.

Primeiro, deve-se considerar a “arena de batalha”, ou seja, a área jurídica em que se realiza a audiência. As audiências cíveis são diferentes das audiências criminais e das trabalhistas, por exemplo. Saber o procedimento é essencial para uma boa estratégia.

Por isso, traçar a ordem dos argumentos, as perguntas de cada parte ou das testemunhas, determinar qual informação deve extrair de cada uma e já considerar como serão as alegações finais são ações que fazem parte da boa oratória.

4. Desenvolva empatia

Todo bom orador precisa desenvolver a empatia e o envolvimento emocional com seu público para conquistá-lo e cativá-lo. Conectar-se empaticamente também permite enxergar com mais facilidade o outro lado e compreender pontos de vistas distintos e contrapô-los melhor. 

Em audiências, nas quais o convencimento determina a vitória ou derrota, envolver e conectar os julgadores e testemunhas é a chave para o sucesso. Uma boa oratória cativa e convence, justamente porque explora muito além do aspecto técnico.

5. Prepare-se para o debate

Por fim, é importante lembrar que a outra parte também tem um advogado preparado para a audiência e disposto a vencer. É preciso ter argumentos convincentes, provas e informações concretas e utilizá-las no momento certo.

Nesse sentido, antecipar o movimento do outro advogado e contrapor suas colocações com maestria, utilizando as palavras e o tom correto é uma arte que requer treino e prática.

Depois de conferir essas dicas de oratória para melhorar a atuação em audiências, confira também nosso artigo sobre como falar de um jeito que as pessoas queiram ouvir.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *